28 de agosto, Dia do Bancário

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp

Compartilhe em sua rede social

Nesta sexta-feira, 28 de agosto, é o Dia dos Bancários. Não há dúvidas de o que eles mais queriam nesta data era o reconhecimento dos banqueiros de todos os esforços feito para manter altos lucros dos bancos no Brasil há muitos anos.

Em 2020, ainda mais, por ser uma das categorias consideradas serviços essenciais e que se colocou em risco, na linha de frente de atendimento da população em meio a pandemia do Coronavírus (Covid-19).

O Sindicato dos Bancários através de outdoors instalados nas cidades de São José do Rio Preto e Olímpia, comemorou a data e aproveitou a oportunidade para chamar a atenção dos banqueiros para que possam apresentar uma proposta mais decente nas negociações da Campanha Nacional de 2020.

“A categoria bancária é uma categoria essencial, que está na linha de frente atendendo as pessoas nas agências bancárias mesmo neste período de pandemia, nada mais justo que haja o reconhecimento por parte dos bancos e os trabalhadores possam ser contemplados com uma proposta mais justa” destacou Hilário Ruiz, vice-presidente regional do Sindicato de Rio Preto.

Histórico
Foi no dia 28 de agosto, em 1951, que os bancários decidiram cruzar os braços para reivindicar um reajuste salarial 40%. Os bancos queriam dar apenas 20%.

Os índices oficiais do governo na época apontavam um aumento de 15,4% no custo de vida. Os bancários refizeram os cálculos e o próprio governo teve que rever seus índices, que saltou para impressionantes 30,7%. Depois de 69 dias de paralisação, os bancários conquistaram 31% de reajuste. Foi a maior greve da história da categoria. O dia 28 de agosto passou a ser considerado como o Dia do Bancário.

Importância da greve
Mas, além do reajuste, a greve de 1951 também fez surgir sindicatos de bancários em vários pontos do país. Assim, também é indiscutível a importância da greve para a organização da luta da categoria, que de lá para cá obteve muitas outras conquistas e, inclusive, é a única do país com um Convenção Coletiva de Trabalho (CCT) nacional.

Outro mérito da greve de 1951, foi a contestação dos dados oficiais do governo. A partir desta contestação surgiram as bases para a criação do Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese). O Dieese surgiu com o objetivo de municiar os trabalhadores com dados estatísticos confiáveis.

 

Galeria de Fotos

Outras Notícias