Sindicato fiscaliza condições insalubres no projeto “fidelize” do Bradesco

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp

Compartilhe em sua rede social

Após receber denúncias de que funcionários do Bradesco estavam trabalhando em condições insalubres no projeto “Fidelize” (projeto de abertura de contas dos funcionários da prefeitura), o Sindicato dos Bancários de Rio Preto através de diretores fiscalizou o local e constatou as irregularidades.

Antes das mudanças

O sindicato acionou imediatamente o banco e a prefeitura, solicitando adequações e medidas para sanar as condições insalubres. Após reunião, o banco atendeu as solicitações do sindicato promovendo as seguintes alterações:

– Redução do número de atendimentos de 400 para 200 pessoas por dia;
– Acesso limitado a 15 clientes por vez;
– Reorganização do local, respeitando a distância mínima de 2 metros entre as mesas de atendimento, em observância aos protocolos de contenção da covid-19;
– Transferência do pessoal da retaguarda para agência 023;
– Redução da carga horária de cada funcionário para 6 horas.

Depois das mudanças
Depois das mudanças

O sindicato continua cobrando o banco para que realize melhorias no local, como a instalação de aparelhos ar-condicionado de maior potência e medidas de proteção contra o novo coronavírus.

Daniel, Darci e Pedro, indignados com a alta temperatura que o Bradesco impõe para seus clientes e seus funcionários. Assim não dá!

“Já fomos atendidos em várias solicitações, mas o grande problema ainda é a temperatura do ambiente que continua alta. Já solicitamos e esperamos que o banco instale novos aparelhos ar-condicionado. Sabemos que com essa pandemia do coronavírus as condições daquele ambiente coloca todos os colegas em risco de contaminação e isso é inadmissível. Nós do sindicato estamos fazendo de tudo para que o banco e a prefeitura se sensibilize e melhores ainda mais as condições daquele ambiente.” declarou Daniel Vitolo, diretor do sindicato.

Outras Notícias