Sindicato repudia práticas antissindical no Bradesco

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp

Compartilhe em sua rede social

Após reunião positiva entre Sindicato dos Bancários de Rio Preto, Prefeitura e Regional do Bradesco, visando o encerramento do atendimento no “Fidelize” (projeto de abertura de contas dos funcionários da prefeitura), pelas condições insatisfatórias do local que estavam trazendo preocupações pelo grande fluxo de pessoas e risco de propagação do vírus covid-19, diretores do sindicato foram até o local para conversar com os funcionários e apresentar as medidas definidas na reunião.

No entanto, ao chegar no local(Fidelize), uma funcionária da regional solicitou aos dirigentes sindicais que aguardassem a chegada de um diretor do “Fidelize”, e assim procederam. Após sua chegada, o diretor do (Fidelize) Bradesco tentou impedir que os dirigentes do sindicato conversassem com os bancários, desrespeitando o direito de “frequência livre” prevista na convenção coletiva, passando a ameaçar, ofender e intimidar o dirigente sindical Daniel Vitolo, que mesmo sob ameaças, conversou com os funcionários. O diretor do “Fidelize” ainda criticou o trabalho do sindicato, que buscou solucionar as péssimas condições do local.

Após o tumulto e a saída do sindicato do local, o representante do “Fidelize”, tentando desprestigiar o trabalho do sindicato, reuniu seus subordinados para anunciar que “o Bradesco, de forma unilateral, havia decidido adiantar o encerramento das atividades de segunda para sexta-feira”. No entanto, essa afirmação não retrata a verdade dos fatos, uma vez que as decisões foram acordadas em reunião, com sindicato, prefeitura e diretor regional do Bradesco.

“Faltou hombridade do diretor do “Fidelize”, que não teve a coragem de relatar a verdade dos fatos aos seus subordinados. A antecipação do encerramento das atividades se deu após a “baixaria” promovida por ele. Faltou dignidade, principalmente neste momento difícil que estamos enfrentando, todos ali tem família” relatou Daniel, diretor do Sindicato.

A decisão de encerrar as atividades foram tomadas em reunião do Sindicato com o Bradesco na agência 023

Daniel salienta ainda, que toda tratativa, bem como a decisão de encerrar as atividades do “Fidelize” naquele local inadequado, foram tomadas dentro da agência 023, com os dirigentes sindicais e o diretor regional do Bradesco, Delvair Lima, que por sinal, tratou todos os dirigentes sindicais de forma extremamente educada e cordial.

“É inadmissível que o banco tolere esse tipo de conduta. Prática antissindical e ameaça de agressão a diretor do sindicato, são condutas que merecem investigação e dura punição. Lamentável que o Banco tenha como seu representante uma pessoa com esse perfil. O ocorrido no dia de hoje, mostrou desequilíbrio e despreparo do diretor do “Fidelize”, inclusive para comandar e liderar os empregados” afirmou o diretor Daniel.

Sindicato repudia ameaça e prática antissindical

O Sindicato repudia veementemente a prática antissindical do funcionário do Bradesco, bem como as ameaças e ofensas realizadas contra o diretor do Sindicato Daniel Vitolo. O Sindicato acionará o banco para que investigue a conduta incompatível de seu representante, solicitando apuração dos fatos e medidas administrativas cabíveis para repelir esse tipo de conduta.

Por fim, o sindicato manifesta solidariedade ao seu diretor e reafirma o compromisso em defender os interesses dos bancários, não se acovardando ou se intimidando diante de situações como a ocorrida no dia de hoje.

“Ninguém vai intimidar o sindicato”, diz Daniel, diretor do Sindicato.

Outras Notícias