Sindicatos e BB iniciam negociação sobre bancos incorporados

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp

Compartilhe em sua rede social

Os sindicatos, federações de bancários e o Banco do Brasil abriram nesta terça-feira, 1º de dezembro, o processo de negociação sobre os bancos incorporados (Banco Nossa Caixa/BNC, Banco do Estado de Santa Catarina/Besc e Banco do Estado do Piaui /BEP).

No que se refere ao Economus, os  dirigentes sindicais destacaram a urgência em discutir as questões de saúde, diante do quadro financeiro do Fundo Economus de Assistência Social (Feas).

E mais: os dirigentes sindicais protestaram contra a postura do Economus durante reunião do Conselho Deliberativo, no último dia 6 de novembro, que aprovou o reajuste dos planos de saúde com o chamado “Voto de Minerva”; às vésperas da abertura do processo de negociação. Os conselheiros eleitos pelos participantes, cabe lembrar, votaram contra o reajuste durante a citada reunião do Conselho. Inclusive os dirigentes sindicais reivindicaram a suspensão do reajuste, que entra e vigor no dia 1º de janeiro de 2021.

Os sindicatos, federações e o BB retomam o processo de negociação na próxima semana. “Ressaltamos que o melhor caminho é a negociação, destaca a diretora do Sindicato e representante da Federação dos Bancários de SP e MS na Comissão de Empresa dos Funcionários (CEBB), Elisa Ferreira, que participou da reunião virtual.

Avaliação

O diretor da FEEB SP/MS, Aparecido Roveroni, destacou que “após onze anos da incorporação do Banco Nossa Caixa e as pendências existentes, iniciamos essa negociação com o propósito de resolver os problemas, principalmente em relação ao plano de saúde. O banco tem que caminhar no sentido de acabar com a segregação entre os seus funcionários. E contamos com a atenção e mobilização para alcançarmos nosso objetivo”.

Pauta de reivindicações:

  • Cassi e Previ para todos os funcionários egressos de bancos incorporados.
  • Considerar, para todos os efeitos, o tempo de serviço e o histórico profissional dos funcionários egressos do Banco Nossa Caixa, desde sua posse naquela instituição, principalmente para pontuação nos sistemas de concorrências internas do Banco para ascensão profissional (TAO).
  • Isonomia de direitos e benefícios, inclusive quanto ao pagamento de PLR, programas próprios de remuneração variável e outras premiações internas do Banco, e quanto aos sistemas de concorrência e promoção internas no Banco do Brasil, principalmente para os bancários egressos da Nossa Caixa que não aderiam ao Regulamento de Pessoal do BB.
  • Assegurar o direito à utilização das garantias contidas Cláusulas 38º (PAS Auxílio), 20º (Auxílio Funeral) e 39º (Adiantamentos) do ACT BB para todos os funcionários egressos do Banco Nossa Caixa, notadamente àqueles que não aderiam ao Regulamento de Pessoal do BB.
  • Assegurar o direito de migração para Cassi de todos os funcionários do BB egressos do Banco Nossa Caixa e/ou afiliados ao Economus, sejam funcionários da ativa ou todos os aposentados, na mesma forma do regulamento atual da Cassi, retroagindo para cômputo dos direitos estatutários desde a incorporação dos funcionários egressos em 12/2009.
  • Efetuar a migração de todos os planos de previdência do Economus (A, B, C e PrevMais) para administração da Previ, respeitados seus respectivos estatutos atuais vigentes, no melhor formato que vise atingir a segurança financeira e previdenciária dos bancários egressos do Banco Nossa Caixa.

Outras Notícias

Assembleia geral extraordinária com os funcionários do Banco do Brasil para avaliar a proposta de paralisação das atividades no dia 29/1. Período de votação: Dia 25/01/2021 das 8h às 18h.